O que aprendi na 10ª Maratona Digital

o que aprendi na 7 maratona digital
O que aprendi na 7ª Maratona Digital
22 de May de 2017
Mostrar todos

O que aprendi na 10ª Maratona Digital

o que aprendi na Maratona Digital02

Neste final de semana, aconteceu a décima edição da Maratona Digital, um dos eventos mais bacanas sobre marketing digital do sul do país. Foram mais de 300 pessoas, 18 palestras, dois dias e meio de evento e muito, muito conteúdo bacana!

O diferencial desta edição é que foi mais direcionado para profissionais de marketing, trazendo workshops com temas mais avançados.

Vamos tentar trazer aqui um pouquinho sobre cada palestra e o que mais curtimos por lá. Como são muitas palestras e o texto ficou longuíssimo, a dica é percorrer a lista e ver as palestras que mais te interessam, caso você não tenha muito tempo para ler.

 

  1. Estratégias de Google Marketing Avançado, com Vítor Magalhães, da Cadastra

Vítor falou muito sobre SEO. 51% dos resultados de busca vêm do Google, tanto da busca orgânica quanto paga. O primeiro mecanismo de busca mais utilizado é o Google Search, o segundo o Google Images e o terceiro o Youtube. Então, quando pensar num conteúdo a ser disponibilizado na internet, pensa nesses três buscadores e otimiza para eles.

As pessoas pesquisam basicamente de 4 formas:

  • Pesquisas de “saber”: quem é o maior clube do Brasil
  • Pesquisas de “fazer”: como fazer um post bacana para o Instagram
  • Pesquisas de “visitar”: como chegar no restaurante “x”
  • Institucional: sites, empresas e personalidades específicas

Um tipo de busca que vem crescendo muito é a busca por voz, que foi apontado como A grande tendência do Google para 2018.

Vítor falou também no AMP e na importância de acelerar o carregamento do site. Isso é importante para o Google na hora de ranquear, mas, principalmente para a experiência do usuário com o site, especialmente em sites de e-commerce.

Falou também sobre o PWA e como fazer o site se comportar como “aplicativo”, assunto bastante técnico que precisa ser estudado mais a fundo.

E, por fim, trouxe a bombástica notícia sobre o HTPPS: sites que não forem exibidos em htpps não serão indexados pelo Google! Aparecerá uma antipática e assustadora mensagem dizendo que aquele não é um ambiente seguro. E, cá entre nós, quem é que vai querer navegar num site não seguro? Então, vale a pena ir atrás dessa mudança. Te liga no prazo: Setembro de 2018! Corre que dá tempo!

 

  1. O que aprendi sobre Empreendedorismo, Marketing e Inovação no Vale do Silício, com Rafael Terra, da Fabulosa Ideia

As palestras do Rafa são sempre divertidíssimas e ótimas porque ele não tem medo de compartilhar conhecimento! Com ele aprendi os principais hacks práticos sobre como trabalhar com redes sociais e, a cada palestra, curso ou até conversa com ele aprendo coisas novas porque ele tem isso: disponibilidade em compartilhar!

Enfim, Rafael nos contou sobre sua visita em várias empresas lá pelo Vale do Silício, a experiência de criar uma startup para um treinamento (se liguem pessoal do RH, pois é a segunda startup – mesmo fictícia – que conheci no último mês que prevê o fim do setor de RH nas empresas!) e, claro, trouxe o que eu mais gosto: dicas práticas!

Mas antes disso, algumas considerações importantes quando se pensa naquela turma do Vale do Silício e o que eles têm a ensinar para nós:

  • Produtos e serviços hoje estão sendo criados para durar 5 anos. Então, temos que pensar o tempo todo em novas ideias, novos projetos, pensar em evolução. Pensar para as novas gerações: que sentido faz para essa geração de agora algo que não seja totalmente online? Que eles não consigam resolver pelo celular? Coisas que faziam sentido até agora, podem simplesmente deixar de fazer. E é importante ocupar os vazios deixados com novas ideias.

 

  • Os 6 Ds do crescimento exponencial: Democratizar, Demonetizar, Desmaterializar, Disrupção, Decepção, Digitalizar. Assim as empresas crescem no Vale do Silício.

 

  • O pitch perfeito: todo mundo tem que ter um sobre si mesmo e, no caso de empreendedores, sobre sua empresa. O pitch perfeito tem 3 minutos! E você deve ser capaz de falar muito nesses 3 minutos!

 

E, agora, as dicas práticas do Rafael Terra:

  • dino.com.br: já falei sobre ele no vídeo, é um site que ajuda a distribuir conteúdo institucional, de assessoria de imprensa. Ótimo para ajudar a criar a reputação de uma empresa.

 

  • com: quer dicas de um time de especialistas em Growth hacking para ajudar no crescimento da sua empresa? Acessa lá!

 

  • io: precisa se conectar com empresas por e-mail?

 

  • getresponse.com: excelente ferramenta para e-mails e até webinar

 

  • Social Rocket: precisando aumentar o número de seguidores no Insta?

 

 

  1. Fakenews, memes, direito Digital e minha empresa com isso? Leonardo Zanatta

Primeira palestra do sábado, o advogado especialista em Direito Digital Leonardo Zanatta trouxe vários conteúdos interessantes e contextualizou muito sobre a fakenews e a maneira como as empresas devem lidar com elas. O conteúdo que me chamou mais atenção foi:

  • GDPR (Regulação Geral sobre Proteção de Dados): já está em vigor na Europa a lei sobre GDPR (O Facebook que o diga!) e é importante adequar-se a ela, especialmente se sua empresa tem presença (ainda que remota) por lá. Revise os termos de uso e políticas de privacidade do seu site já! As multas são bem pesadas! Não vale a pena correr o risco! (e em breve deve entrar em vigor a lei brasileira também! Alerta dobrado!)

E um dado bem interessante: você sabia que os maiores influenciadores no whatsapp são os familiares próximos e grupos de familiares? Ninguém resiste a uma fofoca de família! Saiba usar isso a seu favor!

 

  1. Whatsapp Business: O guia completo de como fazer, com Anderson Dhiel

Apesar de a palestra não ter trazido o guia completo de como fazer, valeu para conhecer um aplicativo que me pareceu incrível para quer realmente fazer negócios pelo whats: o Whastshare, vencedor do concurso de startups de varejo na Febravar 2018.

Ele faz uma coisa muito simples: cria um link, que pode ser disponibilizado em redes sociais e no site, onde a pessoa clica e abre direto numa conversa de whatsapp com sua loja. Facilidade para o consumidor, que não precisa pegar o número de empresa, cadastrar e iniciar uma conversa (e nesse processo pode acabar encontrando algo mais interessante para fazer do que comprar o seu produto) e para o lojista. Preço super acessível. Vale a pena conhecer.

 

  1. Landing Page: O guia da página perfeita para gerar leads, com Lauro Becker

Para nós, que já trabalhamos bastante com criação de landing pages não teve tanta novidade, mas algumas dicas que podem ajudar quem quer criar uma ótima landing page:

  • Definir uma única proposição de venda para a LP e direcionar todos os elementos para este objetivo;
  • Remover as distrações que possam distanciar o usuário do CTA, como links externos ou pontos de conversão múltiplos;
  • Clareza: usar títulos simples, palavras fáceis de compreender;
  • Pedir o necessário de informações: e-mail, nome, celular ou o que fizer sentido para a empresa, sem exagerar;
  • Transmitir credibilidade através de provas sociais, prêmios, clientes;
  • Ser claro no CTA: se o objetivo da LP é baixar um guia, escreve BAIXAR O GUIA; isso facilita a tomada de ação.

 

E uma dica final: as melhores landing pages são as que cumprem a sua promessa, ou seja, que entregam o que disseram que iam entregar depois que o usuário cadastra seu e-mail. Pense seriamente sobre isso!

 

  1. Tendências para o Facebook e Instagram 2018, com Rafael Terra

Mais uma palestra com o Rafa, recheada de dicas práticas. Vamos a elas!

  • O alcance orgânico do Facebook despencou nos últimos tempos, por isso, é importante contar com pessoas disseminando seu conteúdo, os famosos “Embaixadores da Marca”. Se sua empresa ainda não tem um, pense seriamente sobre isso;
  • Aposte nas Lives/Stories: o Facebook quer divulgar a ferramenta, por isso, dá uma forcinha extra para a distribuição desse tipo de postagem (e aqui está a explicação do porque seus stories têm mais impacto que os posts normais!). Stories no Insta têm entrega 40% mais do que os posts no feed. Inclusive, têm se usado fazer chamadas no Stories para um post no feed!

 

  • Neste sentido, fazer lives através da própria ferramenta do Face (livestream) é ótimo para engajamento. Atenção para o horário nobre para isso: a partir das 20h!

 

  • Facebook SEO: na busca, o que aparece primeiro são os conteúdos em vídeos (sim, o Facebook continua na briga com o Youtube), por isso, aposte em vídeos!

 

  • Legenda é lei! Coloque sempre legenda nos seus vídeos: isso faz com que eles tenham maior alcance, pois muita gente assiste sem volume (ok, no próximo, colocarei! Lição aprendida!)

 

  • O Facebook tem interação total com o Instagram. Por isso, não matem o Facebook, por mais que a gente já esteja meio “cheio” dele. Um exemplo disso é na hora de fazer anúncios: não faça direto pelo Instagram! Pela ferramenta do Facebook, você consegue qualificar muito mais o público.

 

  • Dark posts: você sabe o que é? Fazer um post em cima da audiência de parceiros. Você usa a audiência do parceiro para distribuir seu post. Isso funciona muito!

 

  • # clássicas que não podem faltar no seu post: #setor #marca #tema do post #cidade

 

  • Você sabia que comentários com a palavra “Parabéns” fazem com que o post tenha maior alcance? (quer saber por que? Comenta aí que eu conto!) Então, crie posts que possam resultar nesse tipo de comentário

 

 

  1. Pixels de Conversão, com Luís Mendes, da Cadastra

Quem não ama o pixel de conversão??? Ele ajuda muito a vender, principalmente porque ajuda a resgatar o cliente que se distraiu no processo de compra. Mas o assunto é bem técnico. Sugiro investigar um pouco mais.

Os grandes “trunfos” do pixel é poder fazer remarketing e criar públicos “look alike”, duas coisas que, se bem usadas, dão muito retorno,

Mas lembre-se: tudo começa com instalar o pixel do Facebook no seu site! Sem ele, a “mágica” não acontece. E pode acreditar: ela acontece!

Para quem quer se aventurar, fica a dica: dá pra instalar o pixel diretamente pelo GTM (Google Tag Manager).

 

 

  1. Hacks Avançados de Inbound Marketing, com Mahara Scholz, da Resultados Digitais

Para quem nunca assistiu uma palestra da Mahara, vale a pena ficar de olho quando será a próxima e assistir, porque ela é ótima!

Claro que para nós, da Dito e Feito, que já trabalhamos com Inbound Marketing e somos parceiros da Resultados Digitais, não teve tanta novidade. Mas vou ressaltar alguns pontos que achei ótimos de relembrar:

  • A importância de segmentar a base: somente oferecendo a oferta certa para a pessoa certa é que a venda vai acontecer. Então, invista um tempo para segmentar sua base. A AirBnB tem um case muito legal de segmentação (se eu encontrar, disponibilizo aqui!)
  • Depois de segmentar, criar a oferta certa para cada público, respeitando a fase que ele se encontra no funil de venda. Não adianta tentar acelerar o processo. Isso pode fazer você queimar um lead bom.
  • Automatize: crie um fluxo para cada etapa da jornada e deixe a ferramenta trabalhar para você!
  • Modelo de fluxo efetivo (simplificado): Conteúdo rico (ex.: e-book) – Email 1 (mais informações + blog post) – Email 2 (informações mais específicas + blog post) – E-mail 3 (convidar para o próximo conteúdo rico) – quer ajuda com isso? A gente te ajuda!
  • Lead scoring: a melhor maneira de saber a hora de encaminhar o lead para a equipe de vendas!

 

  1. E-commerce coach: um guia para você realmente vender na web, com Adriana Fernandes

 

Que mês desculpem os outros palestrantes, mas a palestra foi top! A Adri é incrível! Quem tem e-commerce e precisa de uma forcinha, realmente recomendo procura-la.

Alguns conhecimentos compartilhados pela Adri:

  • Mídia paga não trabalha sozinha: o tráfego vem também de outras fontes, que precisam ser trabalhadas: SEO, E-mail marketing, Mídias Sociais, sites de referência (blogs e influenciadores, por exemplo).

 

  • É muito importante estar de olho nas taxas de conversão e analisa-las isoladamente. Por exemplo, ver as vendas vindas de mobile x do desktop, em qual sistema operacional, clientes novos x clientes recorrentes, cidades onde mais vende, etc. Além da conversão, analisar o ticket médio em cada variável. Isso permite pensar na estratégia a longo e médio prazo para o e-commerce. Por exemplo, se precisa de resultado logo ($$ no caixa!), aposte no que já está dando certo (e use as ferramentas citadas acima para direcionar isso); agora, se a ideia é abrir mercados novos, pode criar ideias novas, com base na experiência atual.

 

  • São detalhes que, muitas vezes, podem fazer a venda empacar ou disparar. Por exemplo (e não tão detalhe assim) o tempo de carregamento do site interfere muito no impacto das vendas, principalmente das vindas de mobile; a localização de botões de compra, distribuição de produtos, etc também interfere. Para checar pontos como esse, use o Yandex, que gera mapas térmicos de site e pode auxiliar em pequenas mudanças de layout que podem impactar nas vendas.

 

  • Acompanhe a acompanhe sempre: performance, concorrentes, tendências de mercado. Qualquer mudança na curva precisa ser analisada e é preciso agir sobre ela para consertar o rumo.

10. Fotografia e Design para Mídias Sociais, com Felipe Onzi, da Fabulosa Ideia

A palestra do Felipe foi bem visual, onde ele apresentou várias dicas do que fazer e do que não fazer com as imagens.

Basicamente, as imagens nas mídias sociais têm três objetivos: emocionar, informar e vender. Ela deve ser escolhida tendo em mente o objetivo em primeiro lugar.

 

11. Web Analytics na Prática, com Rafael Comin

 

Um dos pontos principais do sucesso em Marketing é trabalhar em cima de dados (e não de “achômetros”) e ter uma infinidade de dados é uma das grandes vantagens do marketing digital sobre o marketing tradicional.

Felizmente, existem várias ferramentas capazes de nos prover esses dados. O Google Analytics é a mais democrática delas (por ser free) e uma das mais completas. O segredo está em definir o que é mais importante de medir e acompanhar, pois é impossível medir tudo (ou passaríamos o dia inteiro fazendo isso), mas definir quais dados são interessantes para gerar insights.

Na mesma onda, Facebook, Instagram e até LinkedIn oferecem seus próprios analytics.

Enfim, é algo trabalhoso, mas que vale a pena tirar algumas horas para conhecer e compreender.

 

12. Aplicações Reais de Inteligência Artificial no Marketing, com João Stringhini

A manhã de sábado começou com um tema muito bacana e atual: robôs e inteligência artificial. Eles realmente vêm desempenhando tarefas muito importantes e capazes de trazer importantes resultados para as vendas. E não falamos apenas na Alexa, como importante ferramenta de vendas para a Amazon, e suas colegas americanas. João apresentou o case da sua empresa, que desenvolveu um programa capaz de auxiliar na boa execução da planoprogramação dos produtos no PDV e como isso pode impactar nas vendas.

 

13.Bots na prática, com Juliano Melchior

Seguindo na onda da tecnologia, Juliano Melchior falou dos robôs, que vem sendo cada vez mais utilizados pelas empresas para dar um bom atendimento aos consumidores. E aqui é importante diferenciar que um bot não é um FAQ: embora ele responda muito (e muito!) as perguntas mais comuns dos consumidores, ele pode fazer um atendimento bem personalizado. Vale a pena conhecer o case da KLM, companhia aérea, que usar muito bem os bots em todos os seus momentos de interação com o usuário (que, muitas vezes, deve ter certeza de estar falando com um humano! Kkk).

 

14. Marketing de Conteúdo e Webwriting, com a Luiza Drubscky, da Rock Content

Luiza trouxe um “resumão” de como criar um material muito bacana para a web, a partir de sua experiência na Rock Content, uma das maiores empresas de marketing de conteúdo do Brasil.

Tudo começa na escolha do formato x o canal de distribuição: é importante dedicar um tempinho para escolher qual o melhor formato para usar no Facebook, no Instagram, no Youtube, etc. A maioria dos materiais pode “circular” entre as mídias, mas com alguns ajustes importantes.

Para criar um bom material, o passo número 1 é definir qual a dúvida específica ele vai resolver. Um material que se propõe a responder muitas coisas normalmente, não é efetivo.

Depois, faça uma pesquisa por palavras-chave relacionadas ao tema, para ver como as pessoas estão pesquisando sobre ele (o Google Keyword Planner ou o Semrush podem ser usados para isso, sendo que a ferramenta do Google é gratuita).

Pesquise se o tema foi abordado pela concorrência e como foi feito para que você consiga se diferenciar.

Escola um título muito bom: faça perguntas, ou numere listas, ou use adjetivos marcantes ou apresente um benefício muito bacana do material.

Faça um esqueleto do texto com os pontos principais para ter certeza de ter bons headlines (e esses tópicos virarão seus intertítulos, que são super importantes em termos de SEO).

Escreva com clareza e use a técnica da escaneabilidade, onde, somente passando os olhos, o leitor consegue ver do que se trata (porque são poucos os que leem o texto na íntegra).

Revise, publique e acompanhe a performance do material, vendo quantas conversões, visitas ao blog, engajamento ele gerou.

 

15. Mídia programática, com Márcia Brudke

Uma excelente forma de anunciar que se resume, basicamente, em utilizar os parceiros do Google para veicular banners e anúncios (sites de conteúdo, sites jornalísticos, etc). Conteúdo bastante denso, cheio de siglas (!), mas que, caso você tenha um bom valor a investir (leia-se: acima de R$ 8 mil/mês), vale a pena conhecer. Como a própria Márcia disse, esse tipo de mídia é para “cachorro grande”.

 

16. Linkedin Marketing Avançado, com Rafael Terra

A palestra era para ter sido com a Patrícia Leka, do LinkedIn Brasil, mas ela teve um contratempo e não conseguiu ir na Maratona. Rafael Terra assumiu a palestra e, como sempre, trouxe dicas muito bacanas sobre essa mídia que me encanta a cada dia!!!

  • 99% das pessoas que estão no LinkedIn usam apenas para deixar seu currículo. 1% das pessoas promove conteúdo. E esses 1% estão tendo muito destaque! Por isso, vale a pena investir nessa rede.

 

  • Horário nobre de publicação: início da tarde, quando as pessoas estão voltando do almoço e dando uma “atualizada” (sempre lembrando que, como uma rede profissional, normalmente, pegamos as pessoas no horário comercial, ao contrário das outras redes!

 

  • LinkedIn entrega os conteúdos para 100% da base! Por isso, é comum termos mais engajamento nesta rede do que no Facebook, por exemplo.

 

  • Minha rede | Na sua área: conhece essa ferramenta do Linkedin? Com ela, você consegue se conectar com pessoas que estão à sua volta neste momento! (pausa para abrir o LinkedIn – tem que ser no celular – e testar! Muito bacana!)

 

  • Slideshare, que é uma ferramenta do LinkedIn, é excelente para gerar ranqueamento no Google! Insira-o já na sua estratégia! O próprio LinkedIn é ótimo para ranqueamento! Use já!

 

  • Campanhas publicitárias no LinkedIn: sempre veicular por mais de uma semana (porque os usuários não costumam entrar todos os dias, como nas outras redes, e pode demorar até uma semana para serem impactados pelo anúncio e sempre com um investimento mínimo de R$ 50/dia.

 

  • Na hora de postar, respeite o formato das imagens e atente-se para usar apenas 3 linhas de texto, pois depois vem o “Leia mais” (e ninguém lê o “Leia mais”).

 

17. Segredos da audiência, com Samuel Pereira

 

 

Samuel, entre várias histórias e cases engraçados, nos trouxe a estrutura do vídeo ideal:

  • Promessa: abre o vídeo dizendo o que o usuário vai ver;
  • Apresentação: por que ele deve assistir? Quem é você e como pode (ou porque pode) trazer algum benefício para o usuário;
  • Call-to-action: o famoso “dê um like”, explicando porque é importante que o usário faça isso;
  • Introdução ao conteúdo, explicando claramente porque o usuário vai conseguir um bom resultado assistindo o vídeo;
  • Conteúdo estruturado do vídeo.

 

Quando publicar o vídeo, não esquecer de fazer um bom SEO e escolher um título forte, que contenha: benefício + energia + tempo. Por exemplo: 3 chamadas simples que vendem muito e rapidamente.

Duas últimas dicas:

  • Não tenha medo de fazer vídeos longos! Se o conteúdo é bom, o usuário vê até o fim! O que determina o tamanho do vídeo é a relevância do conteúdo que você tem a disponibilizar.

 

  • Conteúdo de vídeo que está “em alta”: responder perguntas que seu cliente possa ter, pois vivemos a era da assistência ao usuário!

 

18. Métricas em Mídias Sociais, por Rafael Terra

 

E finalmente, Rafael Terra fecha a Maratona com uma palestra bem direcionada a profissionais de agência, trazendo as principais métricas a serem incluídas num relatório para clientes.

Segundo ele, a métrica mais importante é o número de visualizações, pois está cada vez mais difícil entregar conteúdo nas redes sociais e é isso que vai impulsionar as outras métricas.

Como já falamos antes, existe uma infinidade de métricas disponíveis. Por isso, é importante refletir seriamente sobre quais fazem sentido para o cliente, lembrando que isso varia de cliente para cliente.

Depois de escolher as métricas, é importante “abri-las” em KPIs, que é onde conseguiremos analisar a performance.

Métricas interessantes:

  • Alcance
  • Tráfego (acesso no site)
  • Conversões
  • Engajamento
  • Sentimento
  • Número de atendimentos realizados
  • Impacto: pessoas alcançadas x persona – estamos atingindo as pessoas certas?
  • ROI

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Silvia Miebach
Silvia Miebach
Especialista em Inbound Marketing e Social Media

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Dúvidas?
NÓS LIGAMOS PARA VOCÊ!
Deixe que um de nossos consultores entre em contato, assim poderemos analisar suas necessidades e propor a melhor solução digital para o seu negócio. É fácil, rápido e gratuito. Você também pode inscrever-se para receber uma Avaliação Gratuita da sua Fan Page, clicando aqui!
PGlmcmFtZSBzdHlsZT0ibWFyZ2luLWJvdHRvbTogMHB4OyB6LWluZGV4OiAyMTA4OyBib3JkZXI6IDBweDsgYmFja2dyb3VuZC1jb2xvcjogdHJhbnNwYXJlbnQ7IG92ZXJmbG93OiBoaWRkZW47IiBzcmM9Imh0dHA6Ly9tZXRjb252ZS5jb20uYnIvY29udGF0by9jb250YWN0Zm9ybWdlbmVyYXRvci9lZGl0b3IvZm9ybXMvMy9pbmRleC5waHAiIGhlaWdodD0iMzgwIiB3aWR0aD0iNjgwIiBmcmFtZWJvcmRlcj0i4oCcMCIgc2Nyb2xsaW5nPSJubyI+PC9pZnJhbWU+